Início
NOTÍCIAS
04/04/2013
Câmara sedia discussões sobre redução de subsídios

Os vereadores cuiabanos voltaram hoje (04-04) a debater a questão de redução dos subsídios do Executivo Municipal e as implicações automáticas na redução dos salários de servidores (auditores, fiscais e procuradores do Município). Vários fiscais de tributos e representantes sindicais da categoria participaram da sessão plenária, pronunciando-se em Plenário sobre a ilegalidade constitucional da pretendida redução. Segundo o vereador Faissal Jorge, PSB, a proposta será rejeitada automaticamente se for barrada pela Comissão de Justiça do Legislativo. "Se comportar algum parâmetro ilegal, não passa", assegurou.

Clovito (PTB) já adiantou que seu voto será contrário à aprovação. "Não voto errado. Tenho formação em Direito e conheço de leis. Sou a favor de que se mantenha inalterado o salário dos fiscais. A Justiça não pode retroagir. Portanto, voto sempre pela legalidade". O vereador Toninho de Souza, PSD, sugeriu para que o projeto entre em pauta e a Câmara se posicione a respeito em Plenário. "Não participei da reunião com o prefeito Mauro Mendes e nem fiz acordo algum com ele {Mauro}".

Também se pronunciando, Renivaldo Nascimento, do PDT, conclamou os colegas a atuarem em conjunto para resolver esse impasse. "É preciso que o prefeito reveja sua posição sobre redução salarial. Os servidores irão contestar os dados apresentados por Mauro Mendes. O ideal é dialogar com o Executivo para que os servidores não sejam prejudicados". Ricardo Saad (PSDB) externou que espera atenção dos colegas que integram a base do prefeito sobre esse tema.

"Não podemos votar algo que está dentro da ilegalidade. A Câmara vai mostrar sua cara, sim! Meu voto será pela legalidade, com muita consciência. Espero que os vereadores da base consigam convencer o prefeito".

Em resposta, Dilemário Alencar (PTB) assegurou que o fato de integrar a base de apoio do prefeito não significa que irá votar em algo prejudicial aos servidores. "Votarei de acordo com o parecer da Comissão de Constituição e Justiça. Se a matéria for inconstitucional, voto contra. Sou da base do prefeito, mas jamais votaria em algo para prejudicar trabalhadores e que incorra numa ilegalidade constitucional".

Onofre Júnior, PSB, disse que as coisas têm de ser em mão dupla. "Quem ajuda a eleger, ajuda a administrar. Mas, cabe a pergunta: os que elegeram estão ajudando a administrar?". Ainda no Grande Expediente, Onofre Jr. endossou apoio às críticas dos colegas parlamentares sobre os serviços de transporte coletivo na capital. "De fato, é um sistema falido. E as deficiências se acentuam em tudo nesse segmento: horários, qualidade dos veículos, quantidade. É imperioso a volta dos cobradores. Não há como sobrecarregar os motoristas".

Secom Câmara - João Carlos Queiroz



Imprimir Voltar Compartilhar:  




+ Notícias
28/09 - Sessões desta terça aprovam pareceres e processos em primeira votação
28/09 - Vereador diz que situação de repasse a hospital deve ser resolvida com urgência
27/09 - Projeto Cuibaninhos na Câmara recebe 70 alunos nesta terça
23/09 - Agora é lei o projeto piloto do Programa de Escola Cívico-Militar em Cuiabá
22/09 - Segue para sanção projeto que garante prevenção e exame do câncer de colorretal
21/09 - Entidades já podem indicar nomes para moção de aplauso em alusão a Consciência Negra
21/09 - Comissões emitiram nesta terça parecer ao PL que regulamenta o 5G em Cuiabá e a um veto
20/09 - Vereadora pretende acionar judicialmente empresa concessionária
20/09 - Sessões desta terça analisam vetos, projetos de leis e de decreto legislativo
19/09 - Câmara realiza treinamento para servidores sobre o uso do protocolo digital
15/09 - Lei em Cuiabá obriga a divulgação de penas ao crime de maus-tratos aos animais
SESSÃO AO VIVO
INFORMES
Praça Moreira Cabral - Centro - s/n - Cuiabá-MT - CEP 78020-010 - Fone: (65) 3617-1500
Desenvolvimento: Secretaria de Comunicação - Todos os direitos reservados © 2018
O horário de atendimento ao público é de segunda a sexta-feira das 7:00hs às 18:00hs.